Arrainos (2012), de Eloy Enciso

Mimosas (2016), de Oliver Laxe

Peque-Varela-realiza-seu-autorretrato-por-animacao-em-1977

Anacos-(Xacio-Bano,-2012)

Novo cinema galego: Identidad e vanguarda

Victor Paz Morandeira neste caderno introduz-nos para o que hoje é conhecido como Novo Cinema Galego, realizada por uma geração de cineastas de vanguarda, conectada com as línguas modernas do cinema internacional, mas que de alguma forma compartilham uns com os outros certos traços estilísticos ou tema. Entre os diretores deste “movimento” são Oliver Laxe, Eloy Enciso, Xurxo Chirro, Xacio Baths, Peque Varela, María Ruido, Louis Patiño.

Víctor Paz Morandeira
Víctor Paz Morandeira é jornalista cinematográfico e programador. Fundador e co-editor de www.acuartaparede.com, colaborou também para Blogs&Docs, El Amante, Radio Nacional de España (no programa El séptimo vicio da Radio 3), Cortosfera, Transit, V.O.S. e MUBI Notebook. Desde 2010 vem desempenhando trabalhos de comunicação e de programação em diversos festivais como Play-Doc Festival Internacional de Documentais e Curtocircuito Festival Internacional de Cinema de Santiago de Compostela. Criador da seção de crítica Convergências no Festival de Cinema de Gijón em 2014, também organizou projeções, ministrou conferências e moderou debates em (S8) Mostra de Cinema Periférico, Porto/Post/Doc, Filmer à tout prix, Kino Otok e Curtas Vila do Conde. Foi jurado em diversos concursos, entre eles FID Marseille e Alcances Festival de Cinema Documental de Cádiz. Coautor do livro Charles Burnett: um cineasta incômodo (Shangrila Textos Aparte, 2016), recentemente também embarcou na produção de Nocturno: un poema de mar en puerto, que será o primeiro longa do espanhol Álvaro Fernández-Pulpeiro. Como crítico, é membro da FIPRESCI (Federación Internacional de la Prensa Cinematográfica) e delegado de CAMIRA (Cinema and Moving Image Research Assembly) na Espanha.


Publicaciones relacionadas