Música para cine

Música para cine

Música para cine

Música para cine

Música para cine

Música para cine

Música para cine

Música para cinema

Leonardo Heiblum, Jacobo Lieberman, Antonio Pinto e Andres Sanchez conversam sobre seu trabalho no cinema: compor música para filmes. A relação com o diretor, o lugar da música na cadeia de produção criativa, egos e as diferentes maneiras de trabalhar são alguns dos tópicos abordados neste caderno.

LEONARDO HEIBLUM
Leonardo Heiblum (Cidade do México, 1970) estudou piano, composição, tabla da Índia, música latino-americana, som jarocho e engenharia de gravação. Trabalhou como engenheiro e assistente musical de Philip Glass e com seu diretor musical, Michael Ries- man. Participa do resgate da música tradicional, em especial do som jarocho. É funda- dor dos seguintes grupos, onde toca tabla e jarana: Los Shajatos, Pare de sufrir, Wako Texas e La operación jarocha. É o diretor musical da cerimônia de premiação do Prêmio ibero-americano de cinema Fénix.

JACOBO LIEBERMAN
Jacobo Lieberman (Cidade do México, 1970) faz música.

Leonardo Heiblum e Jacobo Lieberman têm o estúdio de gravação Audioflot, onde produzem música para todos os tipos de artes visuais, assim como música original e tradicional. Há vários anos, são considerados os principais compositores de música para cinema no México. Entre seus trabalhos mais reconhecidos estão as músicas dos seguin- tes filmes: Allende mi abuelo Allende, de Marcia Tambutti Allende, vencedora do prêmio El Ojo de Oro de melhor documentário no festival de Cannes de 2015; La jaula de oro, dirigida por Diego Quemada-Diez, premiada no festival de Cannes de 2013; Maria Full of Grace (Maria, cheia de graça) e The Forgiveness of Blood (O perdão do sangue), de Joshua Marston, esta última vencedora do Urso de Ouro de melhor roteiro no festival de Berlim de 2011; The Girl, de David Riker; Flight of the Butterflies (O vôo das borboletas), de Mike Slee, vencedora de todos os prêmios en GSCA 2013, incluindo o de melhor música; Arráncame la vida, de Roberto Sneider; Desierto adentro e La demora, de Rodrigo Plá, esta última vencedora de vários prêmios internacionais, incluindo o de melhor música no Festival de Habana e no Festival da Costa Rica; e Who is Dayani Cristal? dirigida por Marc Silver e vencedora do prêmio de melhor fotografia em Sundance, 2013.

ANTONIO PINTO
“Como compositor de música para cinema, cheguei a uma conclusão: Não estou somente criando música, estou contando uma história. Estou fazendo um filme! Junto com o diretor, o roteirista, o diretor de arte, o fotógrafo, os eletricistas, os atores, etecetera, todos juntos […] usar a música para contar a história.”
Entre sua extensa filmografia são Central do Brasil, Abril despedaçado, Cidade de Deus, Crónicas, Lord of War, El amor en tiempos de cólera, Senna e Amy.

ANDRÉS SÁNCHEZ
Andrés Sánchez Maher (Cidade do México,1976) é produtor e compositor. Há quatro anos é assessor do Laboratório de música para cinema, produzido por Bertha Navarro. Atualmente coordena a Hamaca Music e Estudios Panoram, especializados em música para cinema e pós-produção de áudio. Em 1995 foi integrante fundador do grupo Titán; em 2005 foi fundador do projeto Los Shajatos, grupo do qual faz parte até hoje e desde 2011 é baixista do grupo Zoe. Seu projeto Sánchez Dub abriu um novo caminho na cena mexicana com os acordes do dub, as reverberações e delays próprios desse gênero. Entre seus filmes estão: La ira o el seól e Eréndira Ikikunari, ambas de Juan Mora Catlett, Sabrás qué hacer conmigo, de Katina Medina Mora, Gángster mexicano e Los últimos héroes de la península, de Jose Manuel Cravioto, Un mundo secreto, de Gabriel Mariño, Campo abierto, de Juan Carlos Martín, Azul intangible, de Eréndira Valle e El viaje del cometa, de Ivonne Fuentes.


Publicaciones relacionadas